sacreeinsanite:

Ansikte mot ansikte, Ingmar Bergman, 1976
bijouthecat:

Sedmikrasky (1966)
"Vem sambar"

Aquela coisa puxa outra

Outra coisa puxa aquela

O que me passa dela

Eu puxo também

Puxa, quem diria!

Nem nasceu o dia

E você já pôs

A mesa! E já propôs 

Acordo! Pra eu não dormir.

Pena não é de galinha

Mas de quem acorda.

De quem põe o pé na corda

Bamba

De[mais],

Minha saudade batuca

No ritmo do samba

E se na ponta

do pé

Não apronta,

Mulher!

Boa falta não fez

Pelo[menos].

E o estudos apontam

Que de tu (do)

Nada compensa

Danada é à beça,

Sem deixar o

Samba subir

Pra cabeça.

»
Le chat est bleu

tell me moreArchive